Wednesday 24 April 2019
Home      All news      Contact us      English
desporto - 2 month ago

Análise/Benfica 4-0 Desp. Chaves: Encarnados em alta rotação para o clássico no Dragão

O Benfica goleou o Desportivo de Chaves por 4-0 no jogo da 23.ª jornada da I Liga de futebol e assegurou a distância de um ponto para o FC Porto antes de visitar o Estádio do Dragão no próximo sábado. Bruno Lage foi obrigado a fazer alterações na equipa para a receção aos flavienses promovendo as estreias de Corchia e Florentino como titulares. Depois de sete vitórias consecutivas para o campeonato, os encarnados deram uma resposta categórica à pressão colocada pelos dragões após o triunfo sobre o Tondela, e somaram o oitavo triunfo através de uma boa atuação, marcada por várias jogadas de grande qualidade e pelos golos assinados por Rafa, João Félix, Seferovic e Jonas, sem que a equipa de Tiago Fernandes conseguisse constituir qualquer tipo de oposição.No regresso ao Estádio da Luz após garantir o apuramento para os oitavos de final da Liga Europa, o Benfica de Bruno Lage apresentou-se diante do Desportivo de Chaves com quatro alterações no onze em relação à equipa que empatou com o Galatasary a 0-0. A formação comandada por Tiago Fernandes aproveitou um início de baixa intensidade por parte do adversário para criar as primeiras situações de perigo de forma a marcar um golo que lhe permitisse criar ansiedade numa equipa que estava obrigada a vencer. Logo no arranque do jogo um cabeceamento de Platiny para boa defesa de Vlachodimos colocou os encarnados em sentido, e a partir daí o jogo ganhou outra dinâmica com um golo aos 19 minutos de Rafa. O internacional português só teve de encostar para a baliza trasmontana, depois de um cruzamento largo de Pizzi ter encontrado João Félix ao segundo poste e este ter devolvido a bola para a pequena área, onde Maras e Campi se atrapalharam.Após o primeiro golo do Benfica, a equipa do Desportivo de Chaves ressentiu-se e perdeu alguma confiança que o nulo no marcador lhe garantia nos instantes iniciais. O golo de Rafa foi por isso um mote para um assalto à baliza de António Filipe com sucessivas vagas de ataque à procura de espaços entre as linhas flavienses, sempre muito juntas e recuadas. O Benfica construiu oportunidades sobre oportunidades, num domínio expresso de forma evidente nos 72% de posse de bola nos 45 minutos inaugurais.Com João Félix e Haris Seferovic muito ativos na pressão aos centrais adversários, o Benfica impôs-se com naturalidade e impediu que a equipa do Desportivo de Chaves saísse do seu meio-campo defensivo.  Depois de um sério aviso aos 34 minutos, João Félix concretizou a ameaça em golo aos 37 minutos com o jovem avançado a corresponder da melhor forma a uma assistência de Seferovic para fazer o 2-0 numa recarga ao seu próprio remate.Antes do intervalo, o Benfica praticamente sentenciou a partida com um golo de Haris Seferovic em mais uma exemplar transição rápida para o ataque com Gabriel em destaque. O médio brasileiro assistiu o internacional suíço e Seferovico não desperdiçou a oportunidade para fazer o 3-0 com um toque de classe pelo buraco da agulha naquela que é a sua oitava jornada consecutiva a marcar. Com este golo, Seferovic assinou também o 15.º tento na prova e isolou-se na liderança dos marcadores.Com o resultado praticamente feito na primeira parte, o segundo tempo ficou marcado pela gestão tranquila da vantagem por parte do Benfica. Apesar das várias oportunidades para dilatar o resultado no marcador, os encarnados revelaram-se menos eficazes. Com menor pressão, a formação de Tiago Fernandes melhorou um pouco a meio do segundo tempo, mas já havia pouco ataque para a vontade de atenuar os estragos provocados pelo rolo compressor da equipa de Bruno Lage. A espera dos adeptos do Benfica, que entretanto assistiram também à estreia de Jota no campeonato, terminou mesmo nos 90, com o golo do inevitável Jonas.Com este resultado, o Benfica cumpriu a sua missão e renovou a perseguição ao FC Porto na luta pelo título. Os encarnados passam a somar 56 pontos, menos um do que os dragões , elevando ainda mais as expectativas para o clássico da próxima jornada.Momento do jogo - Golo de Seferovic aos 43 minutosO avançado suíço correspondeu da melhor forma a um passe de Gabriel para fazer o 3-0 perto do intervalo e praticamente sentenciar o jogo com um toque de classe a colocar a bola no fundo da baliza do Desportivo de Chaves.Os melhoresJoão Félix - Com uma leitura de jogo cada vez mais apurada e uma técnica extremamente desenvolvida, o jovem avançado português voltou a demonstrar porque é um caso sério de popularidade na Luz. Desde ajudar os companheiros da defesa a recuperar bola ao pormenor técnico no lance do primeiro golo, João Félix demonstra a cada jornada porque em alguns dos tubarões da Europa a rondar a sua contratação.Pizzi - O maestro do Benfica foi determinante para impedir que a sua equipa fosse sufocada pelas linhas curtas e bloco baixo apresentado pelo Desportivo de Chaves. Tentou por diversas vezes o golo, mas o guardião adversário esteve sempre à altura. Trocou por diversas vezes de flanco com Rafa e abriu as asas a uma águia cada vez mais habituada a voar alto.Gabriel - Se Pizzi é um maestro na forma como abre linhas de passe para os companheiros de equipa e conduz o ritmo da orquestra, Gabriel é a parte efectiva da revitalizada sinfonia que se ouve na Luz. O médio brasileiro foi o eixo de um Benfica em alta rotação na véspera do clássico com o FC Porto. Gabriel recuperou bolas a meio campo e deu uma profundidade nos corredores com passes açucarados que causaram muitas dificuldades aos adversários. Outra grande exibição do médio brasileiro.ReaçõesBruno Lage: Vitórias? Isto é o que acontece quando se treina com qualidade Tiago Fernandes: O primeiro golo do Benfica acaba por desmascarar a nossa estratégia Paulinho: Sabíamos que era um jogo difícil Gabriel: Agradeço a Deus, só tenho mesmo que agradecer

Related news

Latest News
Hashtags:   

Análise

 | 

Benfica

 | 

Chaves

 | 

Encarnados

 | 

rotação

 | 

clássico

 | 

Dragão

 | 
Most Popular (6 hours)

Most Popular (24 hours)

Most Popular (a week)

Sources