Thursday 22 November 2018
Home      All news      Contact us      English
ebc - 14 days ago

Augusto Heleno não vê derrota do novo governo em reajustes para STF

O general da reserva Augusto Heleno, indicado para assumir o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), afirmou hoje (8) que não considera uma derrota para o governo eleito a aprovação, pelo Senado, de reajustes para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o procurador-geral da República. “Não é derrota nem preocupação”, disse o general ao chegar para uma reunião no apartamento funcional do presidente eleito Jair Bolsonaro. Segundo o oficial da reserva, a preocupação é com despesas e gastos. “Tenho certeza que ele [Bolsonaro] não considera derrota. É preocupação até pelos gastos que foram anunciados. Tem que ser muito bem estudado.” Para o general, o impacto tem de ser analisado pela equipe econômica do governo eleito. “Não dá para fazer essa avaliação aqui. Isso ele [Bolsonaro] tem que avaliar, principalmente o Paulo Guedes, avaliar o impacto.” Ontem (7) o Senado aprovou o reajuste que altera o subsídio dos 11 integrantes do STF e da atual chefe do Ministério Público Federal, Raquel Dodge, de R$ 33,7 mil para R$ 39 mil, e provoca um efeito cascata sobre os funcionários do Judiciário, abrindo caminho também para um possível aumento dos vencimentos dos parlamentares e do presidente da República. Defesa Ao comentar a formatação do Ministério da Defesa, o general Augusto Heleno disse que o aconselhável é que ocorra um “equilíbrio de forças” entre os cargos, envolvendo a Aeronáutica, a Marinha e o Exército. Segundo ele, esse equilíbrio facilita as negociações e agrega conhecimento. “É necessário uma diversidade de visões e opiniões para as decisões que têm ser tomadas no Ministério da Defesa”, disse, acrescentando que “o que se busca é esse equilíbrio, porque as Forças [Armadas] têm visões diferentes, até estratégicas.”

Related news

Latest News
Hashtags:   

Augusto

 | 

Heleno

 | 

derrota

 | 

governo

 | 

reajustes

 | 
Most Popular (6 hours)

Most Popular (24 hours)

Most Popular (a week)

Sources